257bet

Capa do Álbum: 257bet
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
257bet
Ícone seta para a esquerdaVeja todas as Notícias.

Comissão da Câmara aprova proposta que contraria STF e proíbe casamento homoafetivo

Placeholder - loading - Plenário da Câmara dos Deputados 20/12/2022 REUTERS/Adriano Machado
Plenário da Câmara dos Deputados 20/12/2022 REUTERS/Adriano Machado

Publicada em  

BRASÍLIA (Reuters) - A Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira, um projeto de lei que proíbe a equiparação de relação de pessoas do mesmo sexo ao casamento ou à entidade familiar, contrariando entendimento já firmado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o tema.

Originalmente, o projeto de autoria do então deputado Clodovil Hernandes (PTC-SP), de 2007, sugeria a modificação do Código Civil para permitir que duas pessoas do mesmo sexo possam constituir união homoafetiva por meio de contrato em que disponham sobre suas relações patrimoniais.

O texto, no entanto, foi descartado pelo relator, deputado Pastor Eurico (PL-PE), que adotou, no lugar, uma outra proposta apensada ao projeto. De autoria do deputado Capitão Assumção (PSB-ES), o texto acolhido 'estabelece que nenhuma relação entre pessoas do mesmo sexo pode equiparar-se ao casamento ou à entidade familiar'.

A aprovação do projeto pela comissão ocorreu a despeito de jurisprudência já firmada pelo Supremo. Em 2011, em decisão unânime, o plenário do STF equiparou as relações entre pessoas do mesmo sexo às uniões estáveis entre homens e mulheres, reconhecendo, assim, a união homoafetiva como um núcleo familiar.

O relatório aprovado na comissão da Câmara diz que 'a Corte Constitucional brasileira usurpou a competência do Congresso Nacional, exercendo atividade legiferante incompatível com suas funções típicas'.

'A decisão pautou-se em propósitos ideológicos, o que distorce a mens legislatoris e a vontade do povo brasileiro, que somente se manifesta através de seus representantes regularmente eleitos', diz o relatório.

Parlamentares progressistas apresentaram votos em separado à comissão, que não foram aprovados.

A proposta ainda precisa tramitar, obrigatoriamente, pela Comissão de Direitos Humanos e pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa. Há um requerimento, ainda, da bancada do PSOL, para que a proposta tenha de ser analisada pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher.

De acordo com uma fonte de um partido de esquerda, a proposta encontrou respaldo na Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família, majoritariamente composta por parlamentares bolsonaristas e fundamentalistas religiosos, mas esse cenário não deve se repetir nas demais comissões.

Na Comissão de Direitos Humanos, presidida pela deputada Luizianne Lins (PT-CE), já está definido que a relatoria ficará com o deputado Pastor Henrique Vieira (PSOL-RJ), de perfil progressista. Já a pauta da CCJ está a cargo do deputado Rui Falcão (PT-SP), presidente do colegiado.

Vieira, aliás, foi autor de um dos votos em separado. No texto, ele considera a decisão de do STF de 2011 um marco histórico. Para o deputado, o voto do relator insere-se em um contexto de 'destruição sistemática da democracia e de ativismo religioso-fundamentalista', configurando-se como 'mais uma investida reacionária da extrema-direita contra as existências LGBTQIA+ e contra as conquistas políticas fundamentadas nos direitos humanos e na diversidade de gênero e sexualidade.'

O texto tramita de forma conclusiva, ou seja, sem a necessidade de ser votada pelo plenário da Casa, a não ser que seja apresentado um recurso que possa obrigar essa análise pelos 513 deputados.

Em todo caso, se for levada ao plenário, há poucas chances de a proposta ser aprovada, avaliou uma fonte da Câmara ligada a partido governista. O presidente da Casa, deputado Arthur Lira (PP-AL), não vem demonstrando interesse em colocar em votação temas da chamada 'pauta de costumes'.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

  1. Home
  2. noticias
  3. comissao da camara aprova …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.

257bet Mapa do site