257bet

Capa do Álbum: 257bet
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
257bet
Ícone seta para a esquerdaVeja todas as Notícias.

Chefe de asssistência dos EUA chega ao Egito com ajuda para Gaza e anuncia mais auxílio aos palestinos

Placeholder - loading - Samantha Power em Washington 13/12/2022 REUTERS/Evelyn Hockstein
Samantha Power em Washington 13/12/2022 REUTERS/Evelyn Hockstein

Publicada em  

Por Daphne Psaledakis

WASHINGTON (Reuters) - A chefe de assistência dos Estados Unidos, Samantha Power, chegou nesta terça-feira à Península do Sinai, no Egito, onde anunciou mais de 21 milhões de dólares em auxílio adicional para o povo palestino afetado pelo conflito entre Israel e o grupo islâmico Hamas.

A administradora da USAID chegou a Al Arish com uma entrega de 36.000 libras de assistência alimentar e suprimentos médicos transportados via aérea pelo Departamento de Defesa a partir da Jordânia e destinados a Gaza, de acordo com um comunicado.

A assistência adicional que Power anunciou nesta terça-feira apoiará o fornecimento de suprimentos de higiene e abrigo, alimentos e outros tipos de assistência para os moradores de Gaza e da Cisjordânia afetados pelo conflito, de acordo com um comunicado separado.

Os recursos também apoiarão o atendimento psicossocial e os serviços de saúde essenciais, juntamente com a criação de um hospital de campanha operado por uma ONG em Gaza, que oferecerá atendimento hospitalar.

Apenas uma fração dos hospitais de Gaza continua em funcionamento devido aos bombardeios israelenses e à falta de combustível, e os que ainda funcionam estão cada vez mais sobrecarregados por novas ondas de feridos.

'Os Estados Unidos continuam trabalhando ininterruptamente para superar os obstáculos diplomáticos e operacionais para o acesso humanitário, apresentar soluções para os desafios emergentes da assistência humanitária e ampliar significativamente essa resposta para onde ela precisa estar', disse a USAID no comunicado.

O Ministério da Saúde de Gaza afirmou que pelo menos 15.899 palestinos, 70% deles mulheres ou menores de 18 anos, foram mortos em bombardeios israelenses no enclave governado pelo Hamas em oito semanas de guerra. Outros milhares estão desaparecidos e teme-se que estejam soterrados nos escombros.

Israel lançou seu ataque para exterminar o Hamas em retaliação a um ataque transfronteiriço realizado em 7 de outubro por homens armados do Hamas que mataram 1.200 pessoas e fizeram cerca de 240 reféns, de acordo com os registros israelenses - o dia mais mortal da história de 75 anos de Israel.

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

  1. Home
  2. noticias
  3. chefe de asssistencia dos eua …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.

257bet Mapa do site